O Transtorno Obsessivo Compulsivo se trata de um distúrbio no qual a pessoa tem pensamentos intensos, recorrentes e de cunho negativo. Esse indivíduo realiza comportamentos e ações repetitivas, de modo a evitar esses pensamentos, ou que os mesmos se concretizem.

Essa é uma questão de saúde mental bastante divulgada na mídia. Porém, um lado negativo de toda essa divulgação aconteceu: a banalização do transtorno.

É fácil ler ou ouvir pessoas comentando sobre terem que checar coisas diversas vezes, gostarem de simetria e organização e coisas afins, mas poucas pessoas conhecem como acontece de verdade.

O filme traz, com uma roupagem divertida, um pedaço do cotidiano de 6 pessoas portadoras do transtorno. Situações que, a princípio, se mostram engraçadas, mas a fundo atrapalham a vida, e muito, nas tarefas mais comuns, como sair de casa e até mais complexas, como ter sucesso em um encontro romântico.

Outro ponto interessante abordado no filme é a tentativa naturalização da estranheza.

Todos somos diferentes uns dos outros, cada qual com sua peculiaridade, que pode ser aceita ou não pela sociedade em que vivemos, e também para aprenderem a lidar consigo mesmos, os personagens terão que aprender a lidar com o outro.

Assim, com o filme, aprendemos o que realmente se trata do Transtorno Obsessivo Compulsivo e como o mesmo funciona de verdade. Vemos que não são simples manias, contribuindo para a “desglamurização” da questão, apresentando-o como um transtorno que atrapalha severamente a vida de seus portadores.

Agora você já sabe que não é algo legal tentar se enquadrar nas características do TOC, mas se você realmente se percebe reproduzindo características que estão atrapalhando seus âmbitos sociais, profissionais, românticos e pessoais, procure ajuda profissional.

A Clínica da Ponte possui profissionais capacitados para te ajudar nessa e em outras questões de saúde mental.

Pedro Diniz Bernardo

Psicólogo - CRP: 05/48864

Compartilhe!

Posts recentes

Vamos conversar?

Entre em contato – por WhatsApp

Newsletter