Crianças. Futuro do nosso planeta. Continuação do nosso legado. Um pedacinho de nós. Quando uma mulher descobre que está grávida, ela já idealiza essa criança, criando expectativas sobre ela. Umas pensam longe e já imaginam até em que o filho vai trabalhar. Quem nunca, antes de ter filhos, olhou para uma criança no chão do supermercado e pensou: “meu filho jamais vai fazer isso”?

Mas então a criança real nasce, e ela se torna perfeita aos olhos da mãe, mesmo não sendo nada parecida com o que a mãe idealizou. Aquele serzinho, mesmo tão pequeno, já demonstra ter a sua própria personalidade, seus interesses às vezes são tão distintos do nosso, que até chegamos a pensar que eles fazem isso só para nos contrariar.

Cada criança tem o seu jeito de ver o mundo: um mundo de imaginação, bom, com magia e inocência. Assim deveria ser a vida das nossas pequenas pessoinhas, porém o mundo não é tão ingênuo quanto elas, e os pais não podem colocá-los em um casulo e protegê-los de tudo. Ah… como gostaríamos ter esse superpoder. Falo isso, pois estudos recentes indicam que cerca de 10% das crianças Brasileiras são diagnosticadas com algum tipo de transtorno mental, inclusive a ansiedade e a depressão.

Muitos ainda pensam: “Masé criança, ainda nem sabe o quanto o mundo pode ser ruim, como pode estar com ansiedade ou depressão?

As crianças estão expostas a múltiplos riscos e propensas a ir acumulando eventos estressores; entre os quais o de apresentarem uma alta prevalência de doenças genéticas, o de viverem em condições socioeconômicas adversas, perdas não elaboradas, negligência, abusos entre outras. Os resultados negativos no desenvolvimento e comportamento são produzidos pela combinação de fatores de risco genéticos, biológicos, psicológicos e ambientais, envolvendo interações complexas entre eles. Os fatores mais fortemente associados com a saúde mental da criança são o ambiente social e psicológico, ou seja, as pessoas e o lugares que ela convive e como ela está respondendo a esse meio, como ela está expressando o que está sentindo. Ela está entendendo porque ela está neste meio, está se sentindo segura?

Nesse dia das crianças vamos dar aos nossos baixinhos um presentão: Saúde mental, elas merecem e não precisam carregar isso para vida adulta. Com suporte psicológico, elas entenderão melhor os seus sentimentos, a se expressar, a identificar um abuso, etc…

Na Clínica da Ponte, nossas crianças aprendem a identificar corretamente as suas emoções. Temos grupos de habilidades sociais para grupos de idade e dificuldades similares. Trabalhamos com uma equipe multidisciplinar de psicologia, pedagogia e fonoaudiologia, sempre buscando melhor ajudar as crianças e sua família.

Dyesere Diandra Candiago Zanotti

Psicóloga - CRP: 05/59775

Compartilhe!

Posts recentes

Vamos conversar?

Entre em contato – por WhatsApp

Newsletter