A psicopedagogia é a ciência que tem como objeto de estudo, a aprendizagem. Como o sujeito aprende? Por que? Como? Qual a maneira mais eficaz? Há aspectos importantes para que o processo de aprender ocorra, tais como: um ambiente propício, motivações intrínsecas e extrínsecas, autoestima, mediador, suporte familiar e acadêmico, e o mais imprescindível:  as funções cognitivas.

Os estímulos de diversos ambientes são enviados ao nosso cérebro, onde são  processados, manipulados e armazenados. Como Piaget cita em sua teoria da assimilação e da acomodação;

PIAGET (1996) define a assimilação como:

“…UMA INTEGRAÇÃO À ESTRUTURAS PRÉVIAS, QUE PODEM PERMANECER INVARIÁVEIS OU SÃO MAIS OU MENOS MODIFICADAS POR ESTA PRÓPRIA INTEGRAÇÃO, MAS SEM DESCONTINUIDADE COM O ESTADO PRECEDENTE, ISTO É, SEM SEREM DESTRUÍDAS, MAS SIMPLESMENTE ACOMODANDO-SE À NOVA SITUAÇÃO.”

Entrando na operação cognitiva da acomodação, temos a definição dada por PIAGET (1996) :

“ Chamaremos acomodação (por analogia com os “acomodatos” biológicos) toda modificação dos esquemas de assimilação sob a influência de situações exteriores (meio) aos quais se aplicam.”

Em suma, aprendizagem é um processo onde as experiências individuais produzem mudanças no SNC (Sistema Nervoso Central) e, em consequência, no comportamento, pensamentos e ações. As sensações, as percepções, as ações motoras, as funções executivas, a memória, a atenção, a linguagem, as motivações e as emoções são produtos da atividade cerebral que, inter-relacionados, constituem o alicerce da aprendizagem.

O psicopedagogo institucional, os educadores, e outros profissionais de saúde e de educação carecem dos saberes das funções cognitivas citadas para, efetivamente, promover o desenvolvimento da aprendizagem, especialmente naqueles em formação, como na infância e na adolescência. Como profissional clínico, uso esse canal para evidenciar a importância da estimulação no desenvolvimento das funções cognitivas principalmente na infância, mas também nas outras etapas do desenvolvimento humano.

É preciso cada vez mais entender, que uma das principais causas de dificuldade de aprendizagem e/ou dos transtornos de aprendizagem é o rebaixamento ou a disfunção de uma ou mais funções cognitivas.

A psicopedagogia clínica realiza a avaliação psicopedagógica para concluir, em uma hipótese diagnóstica, o motivo que esta “dificultando” o indivíduo de aprender. E, a partir das informações coletadas na avaliação, o profissional traça uma estratégia para intervir e estimular o que deve ser trabalhado. Assim, com a mediação de uma psicopedagoga, é possível “colocar o trem de volta aos trilhos” e seguir viagem. 

Referência Bibliográfica PIAGET, Jean. Biologia e Conhecimento. 2ª Ed. Vozes : Petrópolis, 1996.

Thelma Domingues

Psicóloga e Psicopedagoga Clínica - CRP: 05/56218

Compartilhe!

Posts recentes

Vamos conversar?

Entre em contato – por WhatsApp

Newsletter