Leigos denominam a ansiedade como pensar exageradamente no futuro e não viver o presente. Ansiedade não é somente isso, é principalmente o medo que alguma coisa possa te acontecer.

A ansiedade é um sentimento natural e pode ser saudável, é inato ao ser humano. O medo é uma defesa do organismo para que não nos coloquemos em perigo constantemente. O que diferencia a ansiedade do medo, é que o medo é uma resposta emocional a uma ameaça real ou percebida aqui e agora, enquanto a ansiedade é a antecipação de uma ameaça futura.
Mas quando a ansiedade deixa de ser algo normal, inato do ser humano, para ser algo patológico?

Quando a preocupação é excessiva e exagerada sobre atividades normais do dia-a-dia sem nenhum motivo aparente. A pessoa com ansiedade patológica está sempre esperando um desastre seja com ela ou com a sua família, em casa ou no trabalho, seja com a saúde ou com o dinheiro. A preocupação é irreal ou desproporcional, onde as pessoas tem dificuldade em relaxar, podem ter preocupação exagerada no que os outros vão pensar, baixa autoestima, entre outros sintomas, podendo evoluir para uma crise de ansiedade.

Com o surgimento do COVID-19 e do isolamento social, podemos perceber a ansiedade exacerbada em alguns casos, como por exemplo a necessidade das pessoas estocarem papel higiênico, álcool em gel, comida e remédio em geral com medo exagerado de ficar sem.
E as pessoas que lidam com sua ansiedade desde antes da pandemia, como lidar agora? Algumas dicas, que podem ser úteis:

  • Identificar o estresse, utilizar as técnicas de respiração e relaxamento quando os sintomas começam a surgir. Ao tornar sua respiração consciente, traz sua atenção ao momento presente. Com isso, o estado de ansiedade tende a ser minimizado. Na internet, existem várias dicas de técnica respiração para controlar a ansiedade.
  • Os problemas financeiros, são fatores altamente ansiogênicos, priorize as obrigações mais importantes em seus pagamentos, negocie suas dívidas no que for possível e realize um planejamento financeiro.
  • Procure manter um estilo de vida saudável, reorganize sua rotina, adaptando-se ao isolamento social. Exercícios físicos, meditação, descanso e uma alimentação equilibrada podem ajudar a diminuir o impacto da ansiedade.
  • Tomar todos os cuidados de prevenção ao contagio do COVID-19 é fundamental, mas não é necessário exageros. Acumular itens de higiene e deixar pessoas sem acesso a eles, só fará com que no final ambos não estejam protegidos.
  • Converse com amigos e familiares por vídeo chamada ou por telefone; a convivência social mesmo que à distância, mantém os vínculos e pode amenizar a angustia.

Para compreender melhor os sintomas da sua ansiedade e como lidar para conseguir superá-la, procure um psicólogo, os atendimentos on-line estão sendo realizados durante a quarentena. Buscar o autoconhecimento é o primeiro passo para dar um significado mais realista e racional à suas emoções.

Um dos objetivos da terapia, é o paciente se conhecer, para perceber o que alimenta a sua ansiedade de maneira desenfreada. Identificar as possíveis causas e reconhecer quais as emoções e os comportamentos que vêm dificultando e trazendo prejuízo na sua vida e na vida de seus familiares.

Não é preciso passar por isso sozinho.

Dyesere Diandra Candiago Zanotti

Psicóloga - CRP: 05/59775

Compartilhe!

Posts recentes

Vamos conversar?

Entre em contato – por WhatsApp

Newsletter